quarta-feira, 18 de maio de 2011

O PAPEL DAS BANDAS DE MÚSICA (LIVRO DE RENAN PIMENTA)

Um livro que estava fazendo falta na estante de qualquer pernambucano e brasileiro que admire a boa música e em especial a música orquestrada.. Longe de ser um gênero ultrapassado e destinado a um determinado público, a música executada pelas bandas vai até o mais íntimo da nossa formação.  Tanto a dos mais velhos que ainda alcançaram as retretas dominicais, os desfiles cívicos, as solenidades seculares e religiosas, enfim todas as ocasiões em que as bandas saiam às ruas para emocionar o povo com o som dos seus metais, o garbo dos seus desfiles e principalmente a qualidade do seu repertório, como os mais novos que ainda hoje escutam e se apaixonam por um dobrado de John Philip Sousa ou Antonio do Espírito Santo, um frevo de Levino Ferreira ou de Zumba, uma valsa, uma mazurca, uma polka, um maxixe.. Todos os ritmos, incluindo as solenes marchas de procissão, tão brasileiras e tão maravilhosas, na sua harmonia rebuscada e no seu estilo único.

Renan Pimenta conhece profundamente o assunto. É, além de tudo, o maior incentivador do movimento pela preservação das bandas e da sua música. Fundou e dirige a Federação das Bandas de Música de Pernambuco, que congrega quase duzentas Bandas ainda em atividade no nosso Estado.  Renan tem formação sólida: é sociólogo, professor, membro de inúmeros órgãos de pesquisas relacionados à área da cultura, escritor, jornalista, enfim um homem dos sete instrumentos ( e por isso está aqui).  Recomendo com todo o entusiasmo que vocês leiam esse livro, de preferência ouvindo uma banda de música da qualidade, tocando um dobrado daqueles que nos remete à infância e aos tempos de escola, como o "Cisne Branco", de Antonio do Espírito Santo.


http://www.seteinstrumentos.com/2011/03/um-pouco-mais-do-mestre-sousa.html#links

5 comentários:

  1. Caraca!
    Não tinha visto este post.
    Aprendi a tocar trumpet em uma banda marcial que praticamente foi organizada por mim e muitos outros colegas num colégio do governo do Estado.
    Daí partimos pra tocar em orquestra de frevo. Sem muito sucesso e com enrolações de muito mutreteiro. Mas foi tão divertido que me apaixonei completamente pelo frevo e pelo carnaval.
    Meu irmão acabou virando músico profissional e eu cheguei a estudar um pouco de música na escola da Várzea.
    Não sei citar nomes de cabeça, mas tenho certeza que muita gente boa saiu de uma fanfarra ou de uma boa banda marcial!

    Parabéns pela divulgação do livro.

    ResponderExcluir
  2. Como faço para comprar este livro.

    ResponderExcluir
  3. Amigo Argemiro.. Infelizmente só tenho o meu exemplar, caso contrário cederia um pra vc com o maior prazer. A edição que o Renan, já falecido, conseguiu tirar acho que já está esgotada. Um abraço e volte sempre !

    ResponderExcluir
  4. Som de Minas: essa edição do livro do Renan foi limitada e está esgotada, como disse acima. No entanto vale a pena vc entrar em contato com a CEPE, Cia Editora de Pernambuco, ou com o site abaixo, para tentar conseguir um exemplar. Abraço !

    http://catalogobandasdemusicape.wordpress.com/fonte/

    ResponderExcluir