quarta-feira, 9 de setembro de 2015

O MURO DA VERGONHA

Num sol quente de verão
No Dia da Independência
Lula bateu continência
Pro general de plantão
Lá no meio do Eixão
Falou sem qualquer decoro
Quase caindo no choro
Pensando no seu futuro
Tou me lixando pro MURO
Eu tenho medo é do MORO

Nenhum comentário:

Postar um comentário